Posts made in March, 2013

Ao engraçadinho que inventou os ovos da Páscoa…

Ao engraçadinho que inventou os ovos da Páscoa…

… e que ainda lhe enfiou uns dinossauros dentro!
Cá estamos na Páscoa! Este ano infelizmente não tão solarenga como queríamos, mas o que interessa é que cá estamos todos juntos e bem dispostos como sempre! Morro de saudades destes dias ao estilo jardim-zoológico-e-fé-em-Deus. Cansam mas enchem a alma! A alma e as costuras que o Cabrito, o pão de ló, as amêndoas e os chocolates só fazem estragos. Estragos estes ainda maiores este ano, já que a falta de sol nos dá a não verdadeira sensação de que ainda falta muito para o Verão.
Para o S. não há nada melhor que um fim-de-semana no Porto com os primos! Ainda para mais quando junta primos, brinquedos e chocolates! Andou excitadissimo com a escolha dos ovos e com a chegada da Páscoa.
“Mãe, a Páscoa é hoje?” “Não, é amanhã!”| “Mãe, a Páscoa já chegou?” “Não, é amanhã.”
“S. o que é a Páscoa?” “É a mãe do coelhinho que põem os ovos do dinossauro.”
Nem sei por onde hei-de começar a por tudo em pratos limpos.
Mas parafraseando a sms mais querida que recebi hoje de um Tio muito especial: “O importante é o que interessa! by Tomas Abreu”.
M.
PS – À avó Ana, as minhas maiores desculpas pela aquisição dos tais ovos de chocolate. Já percebi porque é que não foi boa ideia. É que tapetes e ovos não combinam, pois não.

Read More

Quando um filho faz anos e não dá jeito nenhum

Quando um filho faz anos e não dá jeito nenhum

ficamo-nos a sentir terrivelmente de consciencia pesada e a pior mãe do mundo! Foi assim este ano!
Cá em casa ligamos imenso às festas de anos! Todos os anos (que também só foram 2) preparei a festa do S. com a antecedência que merece e com tudo a que tem direito (sem exagerar porque não sou nada apologista de festas hiperbólicas para miúdos). Festa normal, em casa, com amigos, bolo e doces!
Este ano, ano em que o S. já percebe o que é fazer anos, ano em que andava a falar hà meses na sua festa de anos, e em que ía fazer 3, etc e tal, falho!
O dia de anos dele este ano calhou na pior altura, numa semana super turbulenta e num fim de semana pior ainda. Ainda pensei seriamente em fingir (que horror) que o dia de anos dele fosse no fim de semana a seguir. Afinal de contas ele nem ia perceber e ficava todo contente…
Mas chegou ao dia e não consegui. Impossível fingir que um filho faz anos, até porque os avós nunca iriam cooperar com esta nossa tramóia maquiavélica!
E assim foi, à ultima das ultimas lá tentei organizar uma festa de anos. O problema é que como tudo o que se faz em cima do joelho, 99% das crianças que convidei já tinham programa! E assim foi, uma festa menos cheia que nos outros anos, menos programada, uns pais cheios de remorsos e o resto da família longe!
Mas o que vale é que os miúdos são um máximo! O S. no fim do dia veio ter comigo, e com um enorme sorriso na cara disse, “Obrigada, foi a festa maior do mundo. Quase quase até ao céu!”.
Morri.
M.

Read More

Caraças!

Caraças!

A vida tem sido ligeiramente complicada nas ultima semana! Trabalho, “destrabalho” e mais trabalho! Novidades óptimas e outras não tão boas, mas com balanço positivo.
Pelo menos até agora!
Estas coisas acontecem quando nos dá menos jeito! Por tudo, pelas coisas que tive de deixar de fazer, pelo que tive que pagar que não dava jeito nenhum. Mas é sempre assim não é?
Saí de casa a correr, com os dois ao colo (que o Sr. Birras entrou em acção hoje), fui deixá-los na escola, fui directa ao Continente (de vez em quando não dá para adiar), procurei o que precisava, cheguei à caixa, uma fila enorme já, esperei.. chega a minha vez e “ups, lá ficou a carteira em casa!”. Que raivaaaa!
Vou para Lisboa, chego à reunião, tenho de parar o carro e pagar parquímetro (mas a carteira ficou em casa!), saio a correr e penso “Era mesmo muito azar ser apanhada logo hoje!”.
30 minutos depois, carro bloqueado!
Pensei eu: ” Respira fundo! É só pagar e ir embora”.
Antes fosse….
1º O telefone da EMEL estava com “Erro técnico” – 40 min para os conseguir contactar
2º Lembram-se que a carteira ficou em casa? Não posso desbloquear o carro a) sem pagar b) sem algum documento
3º Toca a ligar ao D. Desliga o telefone. Está em reunião.
4º Mando SMS. Responde “ja te ligo”
5º 1 hora depois, atende. Está longe. Vai a casa buscar a minha carteira.
6º Chega.
E assim se passa um dia de trabalho útil.
“Caraças” não era bem a palavra que me apetecia dizer, mas sou uma rapariga educada (quando escrevo).
M.

Read More

O melhor da minha rua é o meu!

O melhor da minha rua é o meu!

Confesso que cá em casa, quando estamos só nós, babamos com todas as maravilhas que os nossos filhos fazem. Imagino que seja assim em todas as casas (espero eu). No conforto cá do lar, os nossos filhos são os maiores, fazem as coisas mais espectaculares, são os mais inteligentes, os mais giros, os mais queridos, os mais tudo.
Tentamos, ao máximo (se calhar às vezes não conseguimos), que isso não passe para o mundo exterior, porque sabemos que é super irritante para quem não é o Pai ou Mãe dos nossos filhos, right?
Tendo dito isto, ontem foi o dia do banho! Sim, o banho da realidade! E não foi um “molhe-o-seu-pézinho-aqui”, foi mesmo ao género do “atire-se-ali-para-a-piscina-e-sem-boias”.
O dia da reunião com a professora do S.
Entro eu toda contente (cá dentro com a certeza de que ia ouvir a professora gabar o meu filho espectacular, extasiada com todas as maravilhas que ele faz!) na reunião e (sem introdução) começa o rol das coisas que ele NÃO faz e que DEVIA fazer.
E eu sempre a pensar “deve-se ter enganado, esse filho não é o meu”.
Saí de cara no chão e com o coração apertado. Então e todas as maravilhas não contam???
Depois de umas horas de digestão do assunto e de mais umas trocas de palavras com a Professora ao fim da tarde: “Mas as coisas boas já toda a gente sabe, as menos boas são as que importam referir para o ajudar a melhorar”. O que eu disse: “Ah-ah…”, o que queria gritar: “Mas e as boas????”
M.

Read More

Bom dia Lu! Sonhou comigo?

Bom dia Lu! Sonhou comigo?

…não Tanana, sonhei sozinho!
Assim introduzo o meu sobrinho mais novo, o Lu, que hoje faz 4 anos. Hoje é o dia dele, e eu estou com o coração tão apertadinho por não estar com ele, agarrá-lo e enchê-lo de beijos.
Os meus sobrinhos são a minha perdição. Foi o meu primeiro contacto com o que toda a gente diz ser o “amor incondicional”. O dia em que a C. nasceu foi um dos dias mais emocionantes da minha vida (directamente da sala de partos).
E o que é melhor do que um sobrinho? Outro sobrinho! E foi com a mesma felicidade que soube que ia nascer o Lu, há 4 anos atrás.
Lembro-me de pensar muitas vezes “Será que vou gostar tanto dos meus filhos como já gosto dos meus sobrinhos”? A resposta a esta pergunta veio confirmar-se 1 ano mais tarde. Sim, claro que sim! Mas não é mais nem menos. É igual. Com a vantagem de que com os sobrinhos os podemos mimar, estragar sem limites e, mais importante, sem peso na consciência.
A grande desvantagem, porém, são as saudades que temos deles, que apertam e que me põem de lágrima no canto do olho quando os ouço ao telefone. Isto ainda é pior com as outras duas chinocas que estão do outro lado do atlântico…
Mas voltando ao Lu, que o dia hoje é dele, é o miúdo mais simpático, mais divertido, mais easy-going, mais feliz, mais amigo que conheço! Que hoje e sempre seja um Bom dia!
M.
PS – E porque não fazerem desta Tia a tia mais feliz do mundo? Só mais ummmmmm, please!

Read More

Categories